Skip to content

Faço campanhas mensais de doações de sangue para meu filho

jan 14 2013

“Quando eu era mais jovem e sem filhos, tinha quadros diários de anemia e por mais que eu tomasse vitaminas e ferro não adiantava. Por causa de uma queda de cabelo procurei uma dermatologista, fiz tratamento e continuei não tendo melhora. Ela me indicou procurar um hematologista, quando por meio de diversos exames descobri que tinha Talassemia Minor, uma doença hereditária. Meu primogênito herdou, mas a que não necessita de tratamento especial. Já meu caçula, Lucas, desenvolveu a enfermidade em um grau mais agressivo, no caso a Talassemia Major, uma anemia que faz o corpo não produzir sangue suficiente. Quando Lucas nasceu foram feitos vários exames, mas nenhum acusou a doença. Entretanto, quando ele tinha 11 meses, o corpinho dele atrofiou e tinha febres altas. Nesse momento, procurei o pediatra e refiz os exames de sangue. Levei para o meu hematologista de confiança e ele analisou os resultados, pedindo outra análise para confirmar a doença.

A primeira transfusão dele foi no dia de seu aniversário de um ano. Saber que seu filho tem uma doença rara e que o tratamento consiste em receber transfusão sanguínea duas vezes por mês não foi fácil. Ele toma remédio para controlar a taxa de ferro e é muito responsável. Atualmente está com 10 anos e, desde mais novo, é tranquilo e independente, não tem limitação nenhuma em relação a praticar exercícios ou alimentação. Considero o Lucas uma criança que se superou. Ele me inspira a ter forças para não deixar a peteca cair e isso me impulsiona cada vez mais. Sempre penso no bem dele e como posso ajudá-lo. Todo mês faço campanha nas redes sociais para as pessoas doarem sangue no Criobanco, porém na última vez que divulguei contei um pouquinho da história do Lucas e teve uma repercussão enorme, fiquei muito surpresa. Para o futuro, tenho fé em Deus e que Ele vai nos dar uma cura. Acredito nisso e creio na força do Lucas para superar todas as barreiras”. Sandra Delaroili, empresária e mãe de Lucas, de 10 anos. Ele recebe bolsas de sangue coletadas pelo Criobanco.

Mande sua história de vida para: criobanco@criobanco.com.br



Comentários

Deixe seu comentário.

Adicione um Comentário

Required

Required

Optional


» Visite nosso website